segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Hoje tem festa no céu...


Em janeiro, meu garoto ganhou suas asinhas de anjo e hoje esse anjo completaria 25 anos...
Dia difícil, olhar para o lado e ver que agora só tem o vento, um espaço vazio...

Lembro o ano passado, comemoramos seu aniversário no hospital, você sorria tanto, ficou tão bobo com tantas surpresas, ficou com aquele brilhinho nos olhos esbanjando felicidade... ahh garoto, quanta falta você faz.

Não sei  o que escrever hoje, foram tantas lágrimas de dor e de saudade, de alegria ao lembrar de  você e de tristeza por saber que você não mais está aqui conosco...

Gostaria de dar-lhe os parabéns meu garoto, que onde quer que você esteja você esteja bem, que você tenha ao menos se acostumado com seu novo lar e com seus novos companheiros, que o seu sorriso permaneça intacto e que lágrimas nunca caiam do seu rosto, que sua alegria contagie a todos que o cercam.

As vezes penso que você foi um herói por ter passando por tudo tão bravamente, mas super-heróis tem super poderes, e você não os tinha, super heróis não morrem... mas você Tadeu, foi um super ser humano, um dos melhores que já conheci, que foi forte o quanto pode quando precisou, que agüentou todas as conseqüências por mais um tempo de vida, e que vida, que vida bem vivida você teve, que orgulho de ter participado dela, que alegria ter estado por quatro anos e um mês presente em sua vida, Tadeu...

Você foi um gigante Tadeu, nada tirou tua alegria e vontade de viver, nada foi maior que sua magnitude...

Vou ficando por aqui, com a sensação de um abraço teu, aqueles bem apertados que só você dava...
Feliz Aniversário de todos que te amam.


video



“Só enquanto eu respirar vou me lembrar de você...”

terça-feira, 4 de maio de 2010

Uma notícia que também não gostaria de ler...

Acabei de ler no blog do queridíssimo Daniel a triste notícia de que mais um anjinho abriu suas asas e voou, a Carolyne...

Eu não consegui conter as lágrimas. Eu não acreditei quando li. Eu sabia que as coisas com ela não estavam indo bem, que estava tendo complicações durante o tratamento e tentei bastante manter um contato mais próximo com ela. Queria de alguma forma ajudá-la, que fosse apenas para ouvir um desabafo ou para dar-lhe um abraço, a distância geográfica não era e nem nunca foi um problema, o problema é essa distância espiritual que nos separa para sempre de alguém que aprendemos a gostar.

Recentemente, em uma conversa extremamente difícil com meu pai, ele me disse: “Filha, você não passou por esta experiência com o Tadeu a toa, não foi a toa que você aprendeu a lidar com uma situação tão difícil na vida. Você ainda ajudará muitas pessoas, mas talvez ainda esteja cedo para isto...”

Realmente estava e está cedo para eu tentar ajudar qualquer pessoa. Mas às vezes a vida tem pressa e pessoas que gostamos podem não ter tempo de esperar uma ajuda. Por isto estava realmente disposta a fazer algo pela Carol, que fosse apenas ficar horas falando no telefone ou conversando pela internet, qualquer coisa que eu pudesse fazer, eu faria.

Mas agora não é mais possível. Com profundo pesar deixo os meus mais sinceros sentimentos à família e amigos da Carol. Sei o quanto vocês estão sofrendo agora, o quanto o coração está apertado e ardendo. O meu ainda está partido em mil pedaços, mas sei que todas as marcas e fissuras que existem, fazem parte de uma grande história, a minha história. Triste, mas esta é a fase em que mais aprendemos o real valor e sentido da vida...

Carol, você foi alguém com muita luz e muita coragem para enfrentar os últimos dias. Sua luta não foi em vão, ela nos inspira a continuar. Digo isso porque eu queria desistir de tudo, mas vendo você lutando a cada dia pela sua vida com dores físicas e emocionais que eu não posso imaginar, me fez querer seguir adiante.

O Tadeu não me ensinou como viver com sua ausência, mas me mostrou atalhos para seguir adiante quando ele não estivesse mais aqui. E só conheci sua história por causa dele, nossos destinos jamais teriam se cruzado se não fosse esta terrível doença... Vocês todos que estão na luta me mostram a cada dia um novo atalho para prosseguir, e você Carol, nos seus últimos dias me mostrou com toda sua força e coragem alguns desses atalhos...

Fique em paz querida...

Sem mais...
Um beijo carinhoso a todos que estão na luta. Nunca desistam.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Blog do Dr. Marcelo Bellesso



O blog traz um conteúdo um pouco mais abrangente e específico sobre doenças hematológicas, das quais ele já publicou. Conta com os principais efeitos colaterais da quimioterapia, desde os mais comuns até os mais raros. O blog foi recém lançado, mas já trazem também orientações sobre higiene pessoal, cuidados com a dieta durante o tratamento quimioterápico e a importância dos neutrófilos.

Posso dizer que eu adorei a iniciativa do Dr. Marcelo sobre a criação do blog. Isso traz mais segurança na hora de consumir a informação, tendo em vista que é uma fonte confiável. Mas como ele mesmo faz questão de enfatizar, o blog não tem qualquer intenção de substituir uma consulta médica. Cada paciente é único e deve ser tratado de acordo com a sua singularidade.

Sendo assim, convido vocês queridos amigos e leitores a conhecerem o Hemo-blog e se possível divulguem em seu blog, site, twitter, ou qualquer outro meio de divulgação.

Assim que corrigir o erro do código HTML do selinho, disponibilizo aqui para quem quiser colocar no blog ou site.

Pronto, o código já está disponível para quem quiser divulgar. É só copiar:





=* beijo.

domingo, 4 de abril de 2010

Feliz Páscoa



Desejo a vocês, meus queridos amigos e leitores uma boa e feliz páscoa.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Entrevista para o GNT



Fui entrevistada pelo GNT para falar sobre blogs que curam: Blog de Luciana em Viver a Vida reproduz exempros reais e Leiam a entrevista de Bruna Souza do blog Linfoma Emocional.


Ao contrário do que transmite na entrevista, eu não estou tão bem quanto pareço, mas venho logo para falar sobre isso e mais uma vez agradeço de todo o coração todo o apoio e toda a força de vocês.

=* beijo

terça-feira, 9 de março de 2010

Que saudades...

"Imagine que vocês estão sentados a beira da praia, e que vêem um navio partindo.
Ele vai se afastando, se afastando, até que finalmente desaparece no horizonte. E vocês dizem: “pronto, ele se foi.” Foi onde?
Foi a um lugar que suas vistas não alcançam, só isto. O navio continua grande, nobre, majestoso...
E, no mesmo instante que vocês dizem que ele partiu, do outro lado há outras vozes exclamando em júbilo: “Ele está chegando!”
(Desconheço a autoria)
Que saudades de você, Tadeu...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Homenagem do Dr. Marcelo para o Tadeu


Recebi esta homenagem do Dr. Marcelo no dia 11 de janeiro. Demorei a publicar, pois queria que ela ficasse no topo das atualizações, para ser lida primeiro por cada leitor que acessasse o blog, antes que começassem a ler toda a nossa história.

Recebi muitas homenagens e não estou menosprezando ou diminuindo nenhuma delas ao não publicá-las antes dessa, que assim como as outras é muito especial para mim. Mas depois que a li, a única coisa que fiz foi refletir, e muito. Em momentos difíceis e que tenho vontade de desistir de tudo é ela que eu leio. As verdades que estão escritas me ajudam a seguir em frente. Fazem-me manter o foco e pensar em tudo aquilo que o Tadeu queria para mim...

Vocês sabem o quanto o Dr. Marcelo foi querido pelo Tadeu e ainda é por mim. Tantas vezes falei dele aqui, de como ele cuidava e se preocupava com o Tadeu, tanto com seu quadro clínico como com seu estado emocional. Foi presente mesmo quando estava distante... Enfim, esta homenagem demonstra o carinho que ele sentia pelo Tadeu.


“Tomo a liberdade de escrever uma homenagem ao meu paciente Tadeu. Este rapaz de apenas 24 anos foi um dos maiores professores que já conheci. Sua especialidade não é a literatura, ciências biológicas, filosofia ou informática, mesmo que nessa última tenha tentado me ensinar algo... Defino sua maior titulação como Professor da Vida.

Como médico, tenho o privilégio de conhecer alguns desses professores especializados nesta matéria e o Tadeu estará sempre na minha memória, como um dos melhores. Ele sempre respeitou seus enormes problemas relacionados ao linfoma, entretanto não os considerava maiores o suficiente a ponto de derrubar a sua vontade de sorrir e a sua vontade de viver. O Tadeu foi extremamente cordial com a psicóloga, fisioterapeuta, nutricionista, enfermagem e equipe médica e transformou seu leito de hospital em algo agradável para viver e se visitar. É extremamente difícil encontrar um profissional de saúde que o tratou e que não identificou estas qualidades no primeiro contato.

Usou o termo viver a vida, dia após dia da melhor maneira possível. Valorizou as manhãs como poucos, sempre buscou atalhos para encarar face a face o diagnóstico, tratamento e as frustrações encontradas. Tentou por várias vezes pintar quadros coloridos em situações difíceis por mais consciente que estivesse.

Pode nos ensinar o sentido de amar a vida, sem julgá-la, sobre o que é justo ou injusto. Compreendeu que os problemas que existiram durante o percurso não eram decorrentes de um culpado e sim uma questão biológica referente à resistência da sua doença. Ensinou a valorizar a vida no mais amplo sentido e reduziu o quanto pode o sofrimento. Não anulou a dor, mas não a deixou dominá-lo. Ensinou que é possível dosar a angústia, por mais que seja inevitável. Distraiu-se nos momentos que precisava e concentrou-se quando era preciso entender o diagnóstico, uma nova estratégia terapêutica, riscos do tratamento, etc .

O Tadeu merece ser respeitado e lembrado por ter demonstrado que o humano é nobre, é rico, é forte e é finito.

Jamais o esquecerei...

Para família, amigos e especialmente à Bruna... Força!
O Tadeu sempre quis que a vida continuasse, portanto respeitem a sua vontade.
Vocês foram tão nobres quanto o próprio Tadeu.

Meus sentimentos;

Marcelo Bellesso”

Estou indo viajar...

Amanhã irei viajar para Piraju, interior de São Paulo. O Tadeu certamente estaria tirando um sarro da minha cara por eu estar indo para roça, onde é bem provável que a minha comunicação seja apenas por pombo correio. To brincando, a cidade deve ter uns 30 mil habitantes. A comunicação não será tão primitiva quanto eu estou pensando... Eu espero pelo menos.

Decidi por fazer as malas somente hoje, na véspera da viagem, pois já fiz e desfiz pelo menos duas vezes desde que resolvi ir... Vamos ver se eu não desisto na última hora. Estou com um friozinho na barriga.

E sobre o blog que andam me perguntando qual será seu destino... No momento ele está às moscas e vai ficar por mais um tempinho, mas assim que eu voltar e me estabilizar emocionalmente eu volto a postar, volto a falar sobre o transplante, que não é e um bicho de sete cabeças e que o que aconteceu com o Tadeu, felizmente não acontece com todos...

E minha vida precisa de um destino, não somente blog, mas estou tão perdida que eu não sei o que fazer depois e nem por onde começar. Estou sem pressa, mas isso não significa que estou  parada. Por enquanto eu não sei nada, um dia de cada vez, como me dizia o Tadeu...


Que saudade, que falta ele me faz...

Agradeço a todos por todo o carinho e toda a força, como sempre, vocês não me decepcionam.
Beijo.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Missa de um mês do Tadeu



A missa será na mesma paróquia que foi feita a de sétimo dia. 

Não tenho condições de escrever nada sobre minha vida agora, mas em breve volto para falar sobre como estou e sobre o destino do blog...

Agradeço a todos por toda a força.
=* beijo.

Foto: Ana Reczek - fotográfa.
Convite: Vitor Fogassa - fotográfo.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

O que o Tadeu não me ensinou...

Foram muitas as coisas que o Tadeu me ensinou durante os quatro anos que vivemos juntos, conseguiu me ensinar em quatro anos o que talvez eu não aprendesse em dez...

Ensinou-me que amar é mais do que uma conjugação verbal e que felicidade não é apenas um substantivo. Ensinou que a VIDA e MORTE são mais do que dois extremos... E que tempo não é apenas relógio ou calendário.

Ensinou-me que a vida é mais do que estar vivo, é saber viver a sua ampla complexidade e magnitude. A morte também é tão complexa quanto à vida, ambas na mesma proporção. Nós nunca entendemos o porquê de vida e o porquê de morte. E o meio disso, o meio disso foi o que eu vivi com o Tadeu, vivi um amor... Outra complexidade que jamais cheguei perto de decifrar, entender ou explicar. Nem o poeta talvez consiga desvendar o que é vida, amor e morte, talvez nem o dicionário.

Dentre tanta coisa que o Tadeu me ensinou e que eu poderia passar horas escrevendo sobre o assunto, ele não me ensinou uma coisa, talvez a mais importante neste momento da minha vida e que eu vou ter que aprender sozinha: Não me ensinou a viver sem ele. E eu não sei viver assim, eu não imaginei a minha vida sem a presença dele...

Ele me dizia que eu conseguia fazer tudo, mas e a viver sem ele, será que eu consigo?
Por enquanto acho cedo responder essa pergunta, eu não tenho uma resposta para mim e não tenho para quem me pergunta...

Ainda não me dei conta de que ele partiu, mas sinto uma falta imensa, uma saudade que não tem fim...

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Missa de 7º dia do Tadeu


A Paróquia fica ao lado do Instituto Butantã.
Foto e edição: Vitor Fogassa - fotógrafo.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Agora o anjinho criou asas e voou

Além das forças perdi a minha vida, perdi o amor da minha vida, estou sem chão, inconsolável e não queria me lamentar aqui, no entando, talvez seja inevitável...

Não tenho palavras para mim mesma, foi um alívio ele partir para acabar com seu sofrimento e para acabar com a angústia que eu sentia esperando a hora dele chegar...

Infelizmente cheguei um pouco tarde por conta da burocrácia do hospital, entrei no quarto no momento em que seu coração parou, tinha um minuto que havia parado...

Não vou prolongar minha lamentação. Quero avisar aos amigos e todas as pessoas que seu corpo será velado amanhã a partir das 10 horas e ele será então enterrado às 17 horas, no momento em que mais ou menos ele abriu suas asinhas e se foi...

Será no cemitério Gethsêmani, localizado no bairro do Morumbi.
Praça: Ressurreição  nº 01 - São Paulo/SP sala 09
tel.: 3742-5322

domingo, 10 de janeiro de 2010

Estou perdendo as forças...

O pouco que me resta estou perdendo, não consigo nem abrir meu blog e o dele então, é difícil ler, não consigo ver nossas fotos sem cair num choro de desespero...

Não ele não se foi, mas ao que tudo indica está pertinho dele partir. Tenho uma esperancinha bem lá no fundo do coração que a esta altura está bem apertado e está doendo bastante.

Não vou entrar em detalhes sobre os últimos dias, pois é a coisa mais triste do mundo. Só o que eu posso falar e sem sofrer tanto é que ele não está respondendo ao tratamento, estou torcendo muito por uma reversão, mesmo o médico me dizendo o contrário...

Mas se ele tiver que partir, que assim seja, ele merece descansar e ter paz depois desses dias de sofrimento, mas se tiver que ficar e ficar bem, será a minha maior alegria e felicidade, prometo nunca mais soltá-lo...

Queria nesse momento segurar sua mãozinha e quando chegar sua horinha queria ir junto, não quero deixá-lo ir sozinho, mas...

Tudo valeu a pena como disse. E fomos felizes, muito felizes...

quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Tudo sempre valeu a pena

No âmbito espiritual e religioso, o Tadeu está bem aparado e tem todas as possibilidades de melhora possíveis. No lado da torcida que por sinal é muito grande, essas possibilidades de recuperação também são altíssimas.

Mas racionalmente e do ponto de vista médico, essas possibilidades estão diminuídas, pelo simples fato de que o Tadeu teve uma piora importante do seu quadro clínio pós-TMO, evoluindo para um quadro de insuficiência respiratória, que permanece estável

Não é hora de entregar os pontos, até mesmo porque ele jamais entregaria, e vocês sabem bem disso, sabem o quanto viver é importante para ele, então eu não me permito pensar ou sentir o contrário. Estou tentanto me manter firme e forte. Até onde eu conseguir me manter assim, acreditem irei me manter. Quero transmitir principalmente pra ele, o quanto eu estou otimista.

Os médicos além de todo o esforço que estão fazendo para controlar e reverter a situação, estão nos dando bastante apoio, na questão de transmitir informações importantes e corretas, até sendo sinceros ao ponto de me dizer que não sabem como será daqui em diante. Já vi pequenas falhas de parte da equipe, que se tornaram insignificantes agora, mas nunca duvidei de uma boa conduta, mesmo não confiando inicialmente nela. Mas tenho que confiar em alguém e o novo médico do TMO, que está cuidando do Tadeu, está se mostrando muito atencioso e competente, junto com os demais médicos que já conheciamos. Aliás, um dos médicos é o responsável por manter o Tadeu em um quarto comum, com equipamentos da UTI, o que segundo ele é muito difícil conseguir, isso possibilita um maior tempo ao lado dele, já que o horário de visitas das enfermarias são diferentes e mais flexíveis que os da UTI. E permanecer neste quarto, até então não implicará na piora ou melhora do Tadeu, já que a assistencia por parte da equipe está redobrada. Mas assim que surgir uma vaga e se ele não melhorar, ele irá para a UTI, para ficar melhor assistido e equipado.

O tempo inteiro, desde as primeiras evidências de infecções (que não se confirmaram), queriamos o Dr. Marcelo presente, mas hesitei em procurá-lo, pois sei que ele não poderia interferir na conduta médica da equipe do transplante. Mas surpreendentemente hoje ele apareceu e mesmo nos falando pouco, fiquei aliviada por ele estar por perto. Quando eu digo pra vocês que ele é incrível, acreditem, ele realmente é. Confio minha vida nele, e minha vida se chama Tadeu.

Depois de tanto apoio da equipe de enfermagem, da equipe do ambulatório de hematologia, de psicologia, de hospitalidade e até de comunicação do ICESP, achei que todos deveriam  e mereciam saber o que estava acontecendo, pois frequentemente eles querem saber as novas informações e recorrem ao blog para saberem os novos capítulos dessa história. E como era de se esperar, o apoio veio em peso, ninguém me deixou sozinha nessa fase crítica e óbvio que também não deixaram o Tadeu, o que me comoveu bastante,  inclusive a última vez que liguei pra mãe dele, ela me disse que durante a visita de algumas enfermeiras ele prontamente abriu os olhos e tentou segurar a mão delas. Fiquei feliz com essa reação dele, isso mostra que ele está tendo noção de quanto ele é querido por todos e o mais importante ele sabe que ninguém vai abandoná-lo agora.

Além do Portal Oncoguia, que começou com essa corrente de força e cura para o Tadeu, veio em seguida os blogueiros mais queridos da minha rede mostrar que estão na torcida, tanto os que postaram em seus respectivos blogs suas mensagens de encorajamento, tanto os que comentaram o quanto nos desejam tudo de maravilhoso nesse novo ano, até os não blogueiros, que uma vez de passagem se apegaram a nossa história e hoje são leitores assíduos e que aparecem sempre para nos mostrar que também estão na torcida. A Adelane, assistente social da ABRALE em Fortaleza também tem transmitido sua preocupação e atenção através do próprio blog e do twitter. E essa história que chegou até a cruzar o atlântico e também a América e que mesmo o idioma sendo diferente, isso não impediu esses leitores de me enviar tanto por comentário como por e-mail, as suas mensagens de que devo com todas as forças seguir em frente e que eles entraram na fila dos torcedores... E isso também chegou aos leitores Carina e Geraldo, que tem uma história muito parecida com a nossa, e se sensibilizaram com a nossa luta e chegaram a nos presentear, como o Tadeu disse em seu blog e que foi o auge do que poderíamos imaginar que alguém faria por nós e ficamos gratos e felizes, não somente pelo presente, mas pelo gesto simbólico que veio com o presente que foi a solidariedade, generosidade, carinho, respeito e até amor ao próximo...

Estamos nos sentindo muito queridos por todos vocês, não vou citar todos nomes para não ter o problema de esquecer alguém, mas cada um que passou em nossas vidas e deixou a positividade, o otimismo, o encorajamento, a alegria e a vontade de viver, tem um papel importantíssimo para nós e eu acredito que cada um de vocês saibam que é de VOCÊ que eu estou falando. Seja a família, os amigos, os leitores, a equipe do hospital, que inevitavelmente se tornaram a nova família e os novos amigos e até leitores, enfim... Obrigado por tudo isso que vocês nos proporcionaram, obrigado a todos que fizeram a diferença, que fizeram com que fosse menos difícil, que nos fizeram rir e chorar, que fizeram nos sentir acolhidos e muito queridos.

A Luta não acabou, eu não vou desistir e vamos até mais longe do que eu posso imaginar e o que eu penso agora é que tudo sempre valeu a pena, sempre...
Beijo.

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

O Tadeu não está bem

Hoje é o 12º pós transplante e as coisas não vão bem, logo na primeira semana pós TMO o Tadeu apresentou febre, em todas as hemoculturas o resultado foi parcial negativo, mas desde então lhe está sendo administrados antibióticos.
Ele apresentou algumas alterações durante a semana, estava ouvindo pouco dos dois ouvidos, começou a ficar com muita fraqueza a ponto de não mais se locomover, tremores durante todo o dia, sonolência e desde ontem começou a ficar com a visão embaçada... nos últimos três dias não teve febre...


Hoje, bom, hoje acho que foi o pior dia pra ele e pra todos nós. Pela manhã, pelo que todos me disseram no hospital ele começou a ficar com muita falta de ar e o catéter de oxigênio que ele estava usando não estava sendo suficiente, então colocaram uma máscara de oxigênio que se chama Bipap - é um equipamento que proporciona ventilação não invasiva, mas não estava sendo efetiva. Então ele acabou tendo uma insuficiência respiratória aguda, e devido a isto precisou de métodos de ventilação invasivos, foi entubado e está sedado para evitar dores e desconfortos...


Acho que foi a pior coisa que aconteceu desde o diagnóstico. Estou assustada ainda, com o maior medo que eu já tive, medo é inerente a qualquer fase do tratamento, mas estou me sentindo acuada, sem saber direito o que pensar e o que fazer. Já me desesperei, chorei, esperniei, mas se isso fosse adiantar alguma coisa, faria pelo resto dos dias, a saída foi me acalmar e aproveitando que estou mais calma e com as idéias no lugar resolvi atualizar vocês sobre o que está acontecendo.


Está sendo muito difícil passar por isso, não da pra saber o que vai acontecer, não da pra saber ainda as causas dessa insuficiência respiratória e eu to com muito medo. O vi entubado hoje, e foi muito doloroso vê-lo assim, eu sei o quanto ele quer viver, ele falou e demonstrou isso o tempo inteiro e eu nunca vou aceitar o contrário. Não imagino a minha vida sem a presença dele, esses 70 dias internado já me mostraram o suficiente de como é difícil estar longe dele. Eu quero muito que ele se recupere, que ele VIVA.


Por enquanto ele está no quarto da enfermaria de TMO, pois não há vagas na UTI, e a medula ainda não pegou, o que faz a situação ficar um pouco mais grave se for uma infecção, os médicos estão trabalhando com três hipóteses e segundo eles, acreditem, a infecção é a menos pior...


Já que estou sem palavras e chorando enquanto termino de escrever, vou parar por aqui...
Mas eu acredito que teremos um final feliz, e eu não estou feliz agora... logo, não é o final.


...
Te amo pra sempre gordo (L)
=* beijo

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Pró-Sangue precisa de doadores do tipo 0 negativo


A Fundação Pró-Sangue, instituição sem fins lucrativos, responsável pelo abastecimento de 128 hospitais da Região Metropolitana de São Paulo, necessita de doadores de sangue do tipo O negativo.
Neste mês de janeiro, o número de doações desse tipo sanguíneo costuma registrar uma queda, colocando o estoque de bolsas abaixo do normal. As festividades de fim de ano e a chegada das férias escolares são, tradicionalmente, fatores que reduzem o número de doadores.
Algumas ações como a convocação de doadores por telefone e carta foram tomadas. Entretanto, o apoio e a participação da população são fundamentais.
Para doar sangue basta estar em boas condições de saúde, vir alimentado, ter entre 18 e 65 anos, pesar no mínimo de 50 kg e trazer documento de identidade original. As pessoas podem se dirigir aos postos Clínica, Dante Pazzaneze e Castelo Branco.

Fonte: pró-sangue